Açores II- Faial e Pico

Chegámos ao Faial debaixo de uma chuvinha miuda e fomos logo para o turismo rural que reservei, o Monte da Meia Eira. Muito giro. E com uma vista fantástica sobre o mar. De seguida, fomos para o Peter onde almoçámos uma sopa de peixe divinal no Peter e às 14.30 embarcamos num semi regido  para ver as baleias.

 

Foram quatro horas fantásticas e ainda por cima no mar o céu esteve limpo e o sol brilhou, ao contrário de em terra. Vimos cachalotes, baleias comuns, baleias azuis – o maior animal que existe na terra. Voltámos para terra ao final do dia, cansados mas de “barriga cheia”.

À  noite por recomendação de uma leitora deste blogue,  jantamos no Canto da Doca bife na pedra de carne local que se desfaz. Aliás se o peixe nos Açores é bom, a carne é incomparável.

No dia seguinte fomos dar uma volta de carro pela ilha, Praia do Amoxarife, as piscinas naturais do Varadouro, o vulcão dos Capelinhos. Infelizmente chegamos lá as 16.45 e o centro de interpretação fecha as 16.30 ;-(

O Varadouro é giro, tem casas engraçadas algumas delas com bandeiras americanas 🙂 a lembrar a emigração em massa que houve em tempos dos açorianos para os EUA. Nao sei se hoje ainda emigram muito para os states mas acredito que sim.

IMG_4524

 

Damos também um pequeno passeio pelo centro da Horta e paramos no Café Volga a admirar as fotos da cidade  no principio do século XX.

No dia seguinte partimos para o Pico no barco das 10.30 para uma visita de um dia. O Pico fica a 30 minutos de barco do Faial e se não se quiser fazer trekings e afins, acho que não se justifica uma estadia superior a 1 dia. Mas alugar carro é essencial.
 Começámos pela costa Norte da ilha, primeira paragem cais do Mourato uma pequena aldeia de casas da pedra de lava à beira mar. Muito giro.

Lagido a povoação a seguir também é muito gira, com as casas todas tradicionais. Já São Roque como é bastante maior,  é mais misturada, embora tenha uma frente marítima muito gira e um museu da indústria baleeira, que foi uma das principais actividades econômicas da ilha até 1984. Vale muito a pena.

 

 

Avançamos pelo interior da ilha até Lages do Pico, o nevoeiro é mais do que muito. Lajes do Pico nao tem piada nenhuma para além de um boutique hotel engraçado o Whale Come e de um resraurantezinho adjacente, com muito bom ar, com tostas, saladas e pratos de inspiração vegetariana.  Tem também o Espaco Talassa que organiza saídas de mergulho e de observação de baleias.

IMG_4545 IMG_4550

Arrancamos  para  São João para o restaurante São João onde comemos uma caldeirada de congro e um bife de carne local. O restaurante é pequenino e fica num alto com vista para o mar. A comida é simples mas com produtos óptimos, principalmente a carne distingue se. Fica a anos luz da do continente e o molho do bife recorda me os sabores dos bifes da minha infância. Muito bom.

IMG_4555

De seguida rumamos até Madalena, sempre junto a costa. De Porto do Calhau até Areia Funda são 8 km classificados como patrimônio. Sempre junto ao mar, vêem se vinhas e vinhas entre pequenos muros de pedra de lava. O contraste entre o verde das vinha e o preto do muro resulta numa paisagem única.

IMG_4559 IMG_4557

Chegamos a Madalena prontos para apanhar o barco, Madalena nao tem um centro histórico nem nada de nada que se veja. Termina por aqui o nosso dia no Pico. Com pena, o tempo nao permitiu que déssemos mais voltas pelo interior da ilha, pelas zonas mais elevadas onde dizem que inúmeros miradouros revelam vistas fantásticas sobre a ilha.

64 comentários

  1. Madalena não tem nada que se veja? Meu caro esqueceu se do túnel de lava…que não encontra igual na Europa. Esqueceu se também de subir à montanha mais alta de Portugal onde seria necessário mais um dia de estadia… se não estou em erro na Madalena existem empresas que também oferecem uma experiência única na Europa que é o Shark Watching….portanto poderia ter lá ficado 3 dias que só tinha a ganhar. Antes de viajar e de minimizar os sítios que experenciou, informe se e conheça os pormenorizadamente. Opiniao de um continental. Atentamente

    • Olá Angelo realmente é pena que tanta informação que dispôe sobre a Madalena, não esteja disponivel no centro de turismo, nem no mapa que lá dão, onde só estão marcados os correios, os bombeiros, o campo de futebol etc….e nada de museus, etc
      Além disso o que escrevi no meu artigo é que o Pico, na minha opinião, basta um dia para ser visitado, se não se for fazer trekkings e afins…

      • Muita falta de informação a senhora contém… Muita mesmo… 1 dia??? Uma ilha que tem quase o tamanho da ilha da Madeira… Você só pode estar doida… Falou da Indústria Baleeira, que para sua informação, é um núcleo do Museu do Pico… Cá do Museu dos Baleeiros situado nas Lajes do Pico??? Cá do Museu do Vinho situado na Madalena do Pico??? São os restantes núcleos do Museu… a nível de restaurantes, cá da Aldeia da Fonte, que para além de restaurante, é um Hotel de 4 estrelas… Minha Senhora, sempre me educaram, antes de visitarmos um local, procuramos toda a informação disponível, e com as tecnologias que existe hoje, é fácil de buscar a informação, pois você não passou por mais de 1 terço da ilha, bem como locais com bastante atracão turística… Ainda lhe digo mais, é triste ver o seu texto, pois nota-se uma total desvalorização… Quem nos visita, como estrangeiros, quer voltar sempre, pois nestes últimos anos, apesar da crise, o número de dormidas na ilha do Pico tem aumentado, em contraste com as restantes ilhas açorianas… Este texto que escreveu, na sua consciência, pode não ser ofensivo, mas para os habitantes de cá, bem como para quem tem conhecimento das coisas, pode o caracterizar como tal…

    • O melhor é ignorar! Assim estamos a dar mais protagonismo e publicidade desnecessária… é uma opinião! muito triste, pouco fundamentada e muito mal escrita, o que felizmente revela o carácter de quem escreveu. Está nos olhos de quem ler, ter uma postura crítica e tirar as suas próprias conclusões, ou então visitar o Pico e avaliar por si própria.
      ( Nota: a Ilha em frente a São Jorge é o Pico, como mostra a sua foto)

    • Parem de bater no ceguinho, caramba. Até parece que o Pico tem alguma coisa para se ver. Acabem com o Porto, destruam o aeroporto, prendam os turistas e fuzilem os Picos que lá vivem.

  2. Boa tarde Catarina.
    Vc deve estar a gozar com os PICAROTOS, uma vez os seus comentários são de uma ignorância de tal ordem que até dá dó de ler o que vc escreveu.
    Mas se algum dia tiver tempo venho ao PICO novamente, que lhe mostro realmente o que é a Ilha do PICO no seu esplendor.

    Boa sorte para o proxima.

    • Pois não me parece que o meu texto seja minimamente ofensivo… aliás, de quase tudo o que me foi possivel ver no Pico, gostei…

  3. Quem escreveu este artigo devia estar bem intoxicado por bebidas alcoólicas pois de tudo que foi escrito não é realidade e pelos vistos por onde andaram foi totalmente por caminhos alheios, é pena que pessoas vão realmente ler este artigo e que nunca foram ao Pico e Faial vão acreditar no que aqui leram, e, apenas quero confirmar que vivo num pais estrangeiro e não sou habitante nos Açores, mas que lá fui visitar e o que aqui está dito é pura ignorância da pessoa que escreveu este artigo.

  4. Cara Catarina,

    É impossível sentir a verdadeira experiência da ilha do Faial e da Ilha do Pico em 48h! Tal como as restantes 7 ilhas dos Açores. Estas ilhas têm muito mais a oferecer do que se lê no seu relato! Da próxima passe pelo menos 48h em cada uma delas e de preferência sempre com boas condições atmosféricas…assim pode ser que o grau de adjectivo ultrapasse o “giro”. Volte e reescreva este seu texto que é uma vergonha, tenho a certeza que o seu planeamento foi minimo.

    P.S – A emigração foi intensa no Faial e Pico na decada de 50 na epoca do vulcão dos capelinhos! Não visitou o museu do vulcão dos capelinhos onde é possivel comprovar os documentos que comprovam a abertura dos EUA à emigração nesta época? Tinha sido “giro”.

    • Leu os artigos que escrevi sobre os Açores? Mesmo? Então leu que eu não visitei o Centro de Interpretação porque esta já estava fechado, certo? E que fiquei cheia de pena do facto…
      Além disso em algumas das ilhas fiquei mais de 48 horas. Pena não ter conseguido encomendar previamente as “boas condições climatéricas” mas para a próxima, não falha 😉

  5. Turistas como a senhora a “nossa ilha” não necessita. Se tivesse estudado um pouco a história da nossa vila (Lages do Pico) e da nossa ilha saberia apreciar o que há de bom. Se se tivesse informado, também, acerca das condições climatéricas das ilhas perceberia que pode estar nevoeiro de manhã e um sol fantástico à tarde.

    Há locais fantásticos em Portugal, e um deles é sem dúvida os Açores, uma prova disso é o facto de recebermos turistas de todo o mundo.

    • Infelizmente estive todo o dia na ilha e não apareceu o tão apregoado sol fantástico, mas mesmo assim acho que desfrutei muito bem daquilo que consegui ver. Não sei onde é que no meu texto digo mal do Pico…

  6. Tenho de discordar com o que disse.. Num dia realmente consegue dar a volta a ilha do Pico mas com certeza não pode desfrutar um décimo do que a olha tem para oferecer… Ao afirmar que un dia é suficiente está na realidade a cometer um equívoco, com o qual não posso compactuar. Tal como ao afirmar que a vila da madalena não tem monumentos históricos ou nada que se veja. Aí se calhar devia se informar melhor porque apesar de ser uma vila pequena e em constante transformação tem pequenos nichos históricos em que transparece a astúcia e audácia do homem picaroto.. Por vezes temos de procurar um pouco melhor, mas isso vai do interesse intrínseco em cada um nos em querer aprender. Eu sei que ignorância pode ser uma benção mas talvez antes de emitir juízos de valor que de alguma forma possa destoar a imagem da minha ilha e algo que não vou aceitar
    Saudações

    • Olá Valter realmente é pena que tanta informação que dispôe sobre a Madalena, não esteja disponivel no centro de turismo, nem no mapa que lá dão, onde só estão marcados os correios, os bombeiros, o campo de futebol etc….e nada de museus, etc
      Além disso o que escrevi no meu artigo é que o Pico, na minha opinião, basta um dia para ser visitado, se não se for fazer trekkings e afins…

  7. Eu como continental e a viver aqui há 18 anos digo-te uma coisa nem a kms o faial tem algo a mais que o pico ,ouvis-te falar do peter e nada mais pk o faial vive do pico minha amiga e mais não digo ………………………………..

    • eu disse que o faial era melhor que o Pico? Ou que o Pico era melhor que o Faial???? que estranho, não me lembro de ter escrito nada sobre isso…

  8. Cara Senhora,

    Devia ler mais guias e pedir informações antes de falar assim da nossa ilha. Então e as Lagoas? os 5 museus históricos que temos? os parques naturais? tantas outras coisas…Meu Deus como me revoltada com as suas palavras!!!! Aprenda mais coisas sobre os locais que visita!!!
    É um desaforo aos habitantes desta ilha

    • Olá Filipa compreendo a sua indignação, mas estive apenas um dia no Pico, visitei um dos museus e o que me foi possivel dado o mau tempo que estava. Não havia possibilidade de subida ao Pico e afins.

  9. “Muito giro” o seu artigo!
    Nada de nada para ver e estadia só de um dia no Pico? Com uma montanha considerada uma das 7 maravilhas de Portugal? Quilómetros e quilometros de paisagem protegida da UNESCO? Uma das ilhas mais secretas do mundo? Explique-me a sra. O que teve o Faial de melhor e quantos dias lá passou. Uma vergonha de comentários seguidos. Andar de carro à volta da ilha realmente nao tem piada nenhuma!

    • Gostava muito de ter conseguido subir à montanha, mas realmente com o mau tempo que estava, não se conseguia ver nada. Daí ter optado ficar pelas zonas menos elevadas. E mesmo assim dando a volta à ilha de carro, vi paisagens muito bonitas, como referenciei no meu artigo.

  10. Peço desculpa pelo meu atrevimento, mas não creio que uma visita relâmpago às Ilhas do Açores, a qualquer uma delas, seja o mais apropriado para as poder avaliar. Creio que seja ignóbil e pernóstico uma descrição destas sobre duas lindíssimas ilhas, que tão procuradas são por gentes de todo o mundo.
    Situadas no meio do Atlântico e a meio da rota do fim, onde na linha do horizonte, o céu se confunde com o mar. A Ilha do Pico, ponto mais alto de Portugal, património Mundial da Humanidade, com as suas lindíssimas lagoas, hortênsias e vinhas. As suas castas únicas produzindo vinhos exclusivos, além das muitas mais particularidades e atributos. A Ilha do Faial, centro de ligação entre a América e a Europa, porto de abrigo e paragem obrigatória para quem cruza os mares em barcos de madeira salgada pelos oceanos, gastos pelo sol e pela aventura e de onde num passeio no mar se pode observar a imponência das baleias e a mestria dos golfinhos que se juntam aos barcos e por momentos se tornam Skippers. Terra de história e paisagens maravilhosas e únicas. Uma gastronomia singular, detentora de uma fauna e flora exclusivos, onde o verde se confunde com o azul e num final de tarde perfeito, o privilégio saboroso de um olhar sobre o inaudito cenário que é a Ilha do Pico.

  11. É pena, pois é por isto que a maior parte das pessoas ficam com uma ideia errada do pico. É por virem só de passagem .

    Eu sou do continente, e quando aqui cheguei o que encontrei foi uma população fantástica, muito carinhosa, amistosa. Foi uma vila das Lajes cheia de história, um museu maravilhoso (Não visitaram o Museu dos Baleeiros?) um porto piscatório onde os pescadores gostam do convívio com os turístas e de explicar o que apanham e o que trouxeram desta viagem ao mar, um dos melhores locais do mundo para ver baleias (vieram pelo mar para o pico ver baleias, certo?), uma zona balnear maravilhosa e uma vista para o Pico como não há mais nenhuma.

    Hoje que aqui vivo, fico triste que as pessoas fiquem com essa ideia, pois não é essa a ideia que nós queremos passar. Nós adoramos receber pessoas, conhecidas ou nossas desconhecidas e que acabam por ficar amigas. Gostamos de lhes mostrar o que tem de bom a ilha do Pico, vistas maravilhosas, comidas e convívios como em poucos sítios sabem fazer.

    Espero que se tiverem oportunidade, voltem e não fiquem só um dia, convivam com a população (principalmente das Lajes por ser uma vila mais centrada, onde as pessoas se juntam e convivem todas as tardes e noites de verão) e mudem a vossa opinião. Se quiserem vir uma próxima vez e se quiserem saber que locais visitar e onde ficar e comer estão à vontade em perguntar. Sim, isto acontece frequentemente e a culpa talvez é por as coisas aqui não estarem bem indicadas, o que visitar, onde comer, mas a nossa ilha não vive massivamente para o turismo e acho que isto tem alguma e muito boas vantagens, manter e preservar o mais “natural” possível a ilha, e deixar que a ilha e a população sejam o mais genuínas possíveis.

    Voltem! 🙂

    • Olá Maria, visitei o museu baleeiro em São Roque – tal como está no artigo, por isso não o visitei nas Lajes. No meu artigo não referi absolutamente nenhum comentário negativo à população dos Açores, antes pelo contrário, achei um povo bem simpático e de braços abertos para receber que vem de fora… onde é que eu escrevi o contrário?

  12. Paciência minha senhora….
    Não sabe do que fala…. então não escreva…
    Santa ignorância a sua…. não pode catalogar uma ilha por um dia e muito menos apreciar tão negativamente uma das mais belas ilhas dos Açores….
    No facebook já corre a sua história e acredite que muitas mas muitas pessoas ficaram perplexas com os seus comentários….
    Quando for à sua terra faço o mesmo…. Paro em 4 ou 5 lugares e vamos ver o que acho…..

    Sem comentários……..
    A primeira pessoa que fala mal do Pico…………….

    • Eu confesso que começo a achar que o artigo não foi lido pela grande maioria das pessoas que o resolveu comentar: em que linha é que eu digo mal do Pico?

  13. Do PIOR que alguma vez já li. Texto ridículo. Revelou uma “despreparação” total da viagem que fez. Não sabe nada do que fala, aliás, não tem o mínimo de competencia para fazer o que faz, não sabe escrever, não reconhece o que vê, informa-se muito mal etc etc… resumindo e concluíndo, você devia era dedicar-se a outra coisa qualquer, uma coisa que fosse “gira” ou “muito gira” mas longe deste tema porque claramente não sabe o que faz.

    • Talvez da próxima vez não me informe no centro de turismo local, que foi o que fiz desta vez…

      • Posso dar-lhe umas dicas para a “próxima vez” (que espero sinceramente que não aconteça)…

        Começando pelo concelho da Madalena:
        -vinha patrimonio mundial da humanidade UNESCO
        -maior tunel lávico da europa (gruta das torres)
        -mergulho com tubarões
        -Adega vitivinicula
        -Parque Florestal “Quinta das Rosas”
        -Museu do Vinho

        Concelho de São Roque:
        -Lajido de Sta Luzia e respectivo núcleo museológico
        -Museu da industria Baleeira
        -Habitações de turismo rural (capital mundial do turismo rural)
        -Parque Florestal da Prainha
        -Meia Encosta
        -Lagoa do Capitão
        -Lagoa do Peixinho
        -Lagoa do caiado

        Concelho das Lajes do Pico:
        -Um dos melhores locais do mundo para a obsevações de cetáceos
        -Museu dos Baleeiros (simplesmente o MAIS visitado dos Açores)
        -Património vivo Baleeiro (principalmente canoas baleeiras)
        -Centro de ciencias e artes do mar (antiga fabrica de processamento da baleia)
        -Centro Histórico com arquitectura ímpar nos açores
        -Lagoa da Rosada
        -Lagoa do Paúl
        -Forte de Sta Catarina (centenária e única construção militar na ilha)
        -Irmida de Sao pedro (primeira edificação religiosa da ilha)

        E o mais importante ponto turistico que voce incrivelmente não aborda… pertence aos 3 concelhos, dá nome à ilha, é uma das 7 maravilhas de Portugal, o ponto mais alto do território portugues e é das montanhas mais fotogénicas de todo o mundo

        Fora isto a ilha do pico tem uma rede de trilhos invejavel, com miradouros e paisagens únicas no mundo, uma linha costeira com pequenos paraísos isolados etc etc etc…

        se me esqueci de alguma coisita peço imensa desculpa….

        agora veja bem a sua incompetencia enquanto “jornalista?” quando vai a uma ilha com tanto de único para oferecer e a única coisa que diz é que existem umas casas “giras” aqui e acolá ….

        Posto isto faça-me o obséquio de responder a esta pergunta:

        Aínda tem coragem de manter publicado aqui, o artigo que escreveu?

  14. Boa tarde, sou das Lajes e não concordo com o que disse…
    Se tivesse subido a rua, tinha encontrado algo de interessante!!

  15. É com muita pena que leio um post de uma bloguista, contatos erros ortográficos e uma péssima escrita. Aconselho a Sra a informar-se quando viaja, porque o que viu no pico foi de passagem por fora. Aqui vão alguns conselhos à exa Sra, não alugue carro, encontre um guia em papel, no mínimo, ou pergunte as pessoas, que falam português, caso não saiba, porque no pico existem enumeras centros, museus, actividades, paisagens, passeios, restaurantes ou snacks com comida deliciosa e com uma diversidade imensa, carne, peixe marisco. Minha senhora não sabe não vou não diga nada, “abra os olhos”

    • Olá Margarida leu o meu artigo? Mesmo? Eu digo mal da comida do Pico? Que não gostei das paisagens? já agora “enumeras” escreve-se “inúmeras”….

  16. Entre outras gafes….esqueci-me de referir, o Cais Mourato não é uma aldeia, e só para que saiba, no Google se fizer uma pesquisa tem lá só na madalena 2 museus e um centro, o museu do vinho, lulas e cachalotes, e a grita das torres. Se gostar de vinhos ainda pode fazer uma visita a adega cooperativa do pico. São só exemplos….

    • Olá Margarida realmente tanta informação que dispôe sobre a Madalena, não estar disponivel no centro de turismo, nem no mapa que lá dão, onde só estão marcados os correios, os bombeiros, o campo de futebol etc….e nada de museus, etc…

  17. Estou incrédulo. Você fez alguma pesquisa antes e durante esta visita? há lugares e aspectos não abordados que são incontornáveis

    • Olá José, sim fiz bastante pesquisa e inclusive como é meu hábito, a primeira coisa que fiz mal cheguei, foi ir ao centro de turismo recolher todas as informações.

  18. amiga….não se justifica estar no pico mais que um dia?não se justifica para turistas de ”titulo” como tu. turista a sério nem numa semana consegue ver todo o pico.turista?por acaso subiste ao ponto mais alto de portugal? é que so nessa subida INVESTES o ”tal dia”…a ilha do pico não são só os ”centros”. Se fosses culta, e estivesses informada,saberias que há muito mais para além deles..ahh,fizeste whale watching,certo? por acaso sabes que as LAJES do pico são o sitio de eleição? Que turista és tu? desinformada e desinteressada..lê, aprende, e depois então viaja.já agora, eu moro no centro da vila das lajes, se alguma vez regressares cá, podes dizer.tenho uma ideia brilhante para aproveitares o unico dia que o pico vale a pena…prender-te pelos pes de cabeça para baixo..verá o pico duma nova perspectiva

    • Olá João como escrevi no meu artigo não se justifica, na minha opinião, estar no Pico mais de um dia se não se for fazer trekkings e afins, como foi o meu caso. Ver as baleias, também como está no artigo, já tinha feito na véspera, não ia fazer novamente, embora seja realmente um espectáculo único.
      Também como se pode ler no meu artigo, não subi aos pontos mais altos por causa ddo tempo. Visto isto só posso concluir que não deve ter lido o artigo….

      • boa tarde. li o artigo todinho.também não se justificava ler por mais que 1 minuto…está enganada.A ilha do Pico tem muito para se ver para além dos ”trekings” e afins como disse. Concluo que deve ser iniciante nas pesquisas pelos diversos motores de busca na internet, caso contrário saberia que por muito tempo que cá passasse, com toda a certeza iria deixar sempre alguma coisa por fazer. Pode ser uma ilha com poucos habitantes, mas a história é ENORME. Pelos vistos maior do que a disponibilidade que tem para escrever. Se algum dia tiver interesse em realmente conhecer a ilha do pico e não apenas descrevê-la em palavras medíocres e curtas, contacte que com toda a certeza a deixaremos surpreendida. Até esse dia, irá viver numa ”sábia ignorancia”. Pior que a falta de informação é a desinformação..e você minha cara, é uma grandessissima desinformada.Cultive-se. joão Lemos

  19. Infelizmente tem uns comentários infelizes.
    Não se deve menosprezar nenhuma ilha dos Açores. Cada qual tem a sua especificidade, uma mais bela que a outra.
    Dizer que o Pico não vale a pena estar mais que um dia, então faça um favor, não diga o que não sabe. Quem a estas ilhas vem, quer sempre voltar, e por muito mais tempo.
    Na sua reportagem faz um bom retrato do que viu, mas tem comentários muito infelizes.

    • Olá Norberto, não me parece que tenha mennosprezado nenhuma das ilhas que conheci nos Açores… mas se o leio nas entrelinhas tenhp pena. Como escrevi no meu artigo não se justifica, na minha opinião, estar no Pico mais de um dia se não se for fazer trekkings e afins, como foi o meu caso. Acho que vi tudo o que me foi possivel ver com o nevoeiro e a chuva que estavam.

  20. Obrigado pelo seu trabalho e parabéns pelo seu blog, mas devo dizer-lhe que este seu texto está cheio de erros ortográficos.
    Talvez seja caso de fazer uma revisão antes de publicar.
    Não leve a mal o meu comentário, por favor.
    Cumprimentos.

  21. Bom dia,
    Quando nos propomos a escrever sobre algo, devemos obter toda a informação possivel sobre o assunto.
    O facto de ter apenas um dia disponivel nas suas férias ou o tempo menos bom numa região não faz dela um local pouco recomendado.
    O texto que escreve é pobre a todos os níveis e como portuguesa sinto-me revoltada.
    Não entendo como pode gostar de Milão por exemplo… Não tem nada ….
    Fui por duas vezes ao Pico a ultima à 15 dias e para o ano vou de novo, com novos amigos.
    Da próxima vez esteja mais atenta e faça o trabalho de casa.

    • Olá Carla, não vejo no que é que digo mal do Pico no meu texto….mas se conseguiu lê-lo nas entrelinhas, fique com essa certeza se isso a deixa contente. Quem sou eu para desiludi-la.
      Quanto a Milão…nunca ouviu dizer que “gostos não se discutem”?
      Bjs e boas viagens

  22. boa tarde!

    refere se nestes comentarios varias vezes ao mau tempo e a falta de informaçao (ou apenas á que teve acesso)

    gostaria so de fazer uma pergunta: – ja que andou a volta da ilha, pergunto lhe ; estava assim tanto mau tempo que nao deu para ver as placas de informaçao? o que nao nos falta sao placas de informaçao, nao dava para ver as vistas , concordo, mas as placas informam os museus , gruta das torres, adegas, casa da montanha etc etc , sao lugares que com mau tempo ou bom se podem ver e estão assinalados por placas , sem ser preciso de livros ou mapas !
    espero que venha ca outra vez e de preferencia com bom tempo, pois terá outra opiniao concerteza !

  23. Olá pelomundo13,

    Eu li o seu artigo e realmente não vi falar mal de nada, só acho que você é a pessoa ideal para escrever artigos nas ‘revistas Maria’, e não a dar propriamente opiniões giras sobre a natureza e a cultura.
    Vá dar concelhos de viagens para que quer viajar para Maiorcas e afins…

  24. Boa tarde. Já aqui foi dito muita coisa e só lhe vou dizer mais duas. Primeiro no Pico temos muitas empresas de animação turística que caso quisesse teriam-lhe feito uma volta à ilha sem necessitar de alugar carro. Num dia mesmo sem trekking, e observação de cetáceos é impossível conhecer 10% desta fantástica ilha. Mesmo com mau tempo temos: gruta das torres, vários museus sendo os mais conhecidos, o museu dos baleeiros e o museu do vinho, paisagens deslumbrantes e cantinhos extraordinários. Tente voltar novamente que terei todo o prazer em mudar-lhe essa opinião tão errónea com que ficou ;). Opinião de um continental que trabalha na área do turismo no Pico. Cumprimentos

  25. Eu como picaroto, e vão-me perdoar os meus conterrâneos, acho que era escusado tanto comentário deste tipo…..
    Para começar não há nada que apontar ao tipo de viagem que a escritora deste blog fez pois ela é uma pessoa livre, planeia e executa as viagens como bem lhe apetece, e mesmo tendo-o feito de uma forma o tanto ou quanto desastrosa…. Gostou! São palavras dela!
    E mesmo depois de vários comentário enraivecidos que li por aqui abaixo…. ela continua a dizer defendendo-se que gostou. E nas respostas dela leio: “nunca disse que não gostava da comida”, “nunca disse que não gostava da bebida”, “nunca disse que estava à espera de sol respandecente 24h por dia”, “nunca disse que achei o faial melhor que o pico”

    Minha gente isto é um blog! Peço desculpa à autora mas…. que importânci tem isto estar escrito num blog mesmo que tenha sido uma experiência pobre comparado com o que a ilha pode dar…. Who cares?!?!? Assim só estamos a fazer papel de ressabiados, de não hospitaleiros, e de quem se interessa muito por uma coisa que não tem uma importância assim tão grande….

    Muito melhor contribuimos para o bom turismo sustentável se convidarmos as pessoas a voltar, recebê-las à nossa boa maneira como sabemos bem fazer e deixarmo-nos destas “raivas” que sinceramente me envergonham bastante.

    Está na nossa natureza defender as nossas ilhas com unhas e dentes, mas também está na nossa natureza sermos humildes, que ninguem goste de nós porque o tenhamos imposto… Isso é ridículo, na minha modesta opinião!

    Quanto à autora do blog… Vou na onda de alguns meus conterrâneos e convido-a com a mais sincera das hospitalidades a um dia voltar e fazer um esforçinho para se entrusar com as gentes… Vai ver que (ainda) vai gostar mais! Abraço!

    • ufa finalmente alguém que faz um comentário depois de ter realmente lido o meu “post” 😉 E já agora muito obrigada pelo convite.

  26. Depois de ler tantas respostas da senhora a dizer “Não sei onde é que no meu texto digo mal do Pico…” eu explico onde é que falou…
    “Lajes do Pico nao tem piada nenhuma para além de um boutique hotel engraçado o Whale Come e de um resraurantezinho adjacente, com muito bom ar, com tostas, saladas e pratos de inspiração vegetariana. Tem também o Espaco Talassa que organiza saídas de mergulho e de observação de baleias.”
    além do adjetivo “giro” “muito giro”…..
    Até dá dó….
    Estava à espera de um centro comercial?
    A senhora devia ter assistido a alguma regata ou pelo menos à partida e chegada dos botes… nesta altura estão sempre em treinos, certamente o nevoeiro não a ia impedir de ver! Ahh.. talvez nem sabia que existia botes na ilha nem das regatas etc…
    E já que fala tanto do guia turístico, fica a saber que o melhor guia turístico é e sempre será o povo da ilha!
    Nós é que sabemos o que é que a ilha tem de bom para oferecer, aliás, o convívio com os naturais da região é parte fundamental de qualquer visita turística.
    Nota-se de longe que nem fez isso, se o tivesse feito, ia ver que existe vários sotaques na ilha!
    Tal como alguém já disse aqui… tb acho q não tem o mínimo de competência para fazer o que faz!
    Ahh desculpa, esqueci-me, “o nevoeiro é mais do que muito” talvez não consegui-o ver o que estava a escrever!
    só tenho mais uma coisa a dizer-lhe… dedique-se à pesca!!!!!!

  27. Até parece que o Pico tem alguma coisa para se ver. Destruam o aeroporto, prendam os turistas e todos os Picos que lá vivem. Cumprimentos a todos os Picos. Façam-se homenzinhos.

  28. Pico, the best island of the world. Com um vinho tão bom, como se pode dizer mal?. Só é pena estar cheia de Picos. Viva lá Itália.

  29. Serei breve nas palavras que direi neste comentário. Primeiro que tudo, e como já foi dito, espero que não haja uma “próxima vez” porque quem tem uma opinião como a senhora não deveria merecer sequer pisar a Ilha do Pico. Não tem o direito de dizer que as Lajes do Pico e a Madalena não têm nada para ver ou que não têm piada nenhuma porque como disse não teve tempo para ver as coisas. Se a senhora se tivesse dado ao trabalho de passar mais tempo na Ilha do Pico veria que tudo o que escreveu é puro lixo!! Concordo com todos os comentários que foram escritos sobre o seu texto!!! Como disse que ia ser breve quero terminar dizendo que espero que não volte à Ilha do Pico porque essa Ilha é boa demais para receber pessoas como a senhora e neste caso fico muito triste por estarmos num país livre e não poder proibir que volte à nossa linda Ilha!!!!

    VIVA A ILHA DO PICO!!!!!!!

  30. Muito boa tarde,
    antes de mais, as fotografias eram muito “giras”, de todo o post, foi o que mais me agradou.
    Contudo neste texto é que se percebe bem o problema que é alguém que não conhece os Açores, e que tem a oportunidade de viajar para cá, vir a fazer comentários tão fracos e pobres ao nível de conteúdo. Claro que não se pode esperar muito de alguém que tem o desplante de dizer que quer conhecer o arquipélago e depois tirar apenas umas horas para conhecer Faial e Pico.
    Para já minha senhora, os Açores não são destino de praia nem de clima tropical, queria sol a escaldar tinha ido ao Hawai. Acima de tudo somos destino onde predominam as paisagens naturais e a história, que deduzo que no Continente não haja, uma vez que a última vez que lá fui só vi edifícios e centros comerciais.
    Segundo ponto, as Lajes do Pico, são dos lugares com maior adesão turística na ilha, tal como a Madalena, não sei com que base vem agora dizer que é apenas um sitio desinteressante. Tá a brincar. Turistas de todo o mundo visitam as nossas ilhas não só no verão, mas todo o ano e têm opiniões muito positivas sobre aquilo que as ilhas têm para oferecer. não vejo como alguém que seja português possa simplesmente desprezar e chamar de “giro” a sítios que outros no mundo consideram ideais para viver!!
    Terceiro ponto, na Madalena não há centro cultural, porque existem atividades mais viradas para a exploração da natureza, tal como a visita as baleias, a subida à montanha, a exploração das grutas, e de certo se tivesse mesmo interesse em conhecer melhor, tinha tirado mais tempo e desfrutado dos serões ao ar livre, com os inúmeros festivais de verão.
    Não entendo como uma pessoa com um blogue sobre viagens, ainda por cima bastante viajada já, tem sequer o desplante de vir aqui dizer que só disponibilizou umas horas ao Pico. se realmente queria conhecer tivesse feito um plano mais organizado da sua viagem e assim não tinha apenas um comentário pouco satisfatório a fazer. E não,nós não somos pouco hospitaleiros, muito pelo contrário, agora chateia ver como realmente os continentais e madeirenses pensam sobre os Açores. e sim eu sei porque trabalho na área de turismo e posso dizer que os continentais são as pessoas que mais reclamam dos nossos serviços e do que nós temos humildemente para oferecer. Como se tivessem melhor. Até parece que nós não somos terras conceituadas e distinguidas a nível nacional e internacional… Meu Deus, publicidade desta às vezes não é mesmo necessária. ou então se quer realmente conhecer a nossa ilha, vá a uma agência e marque uma semana para o Pico, quando sair de cá palavras não lhe vão faltar para descrever tudo o que viu. Pelo menos a palavra “giro” não irá ser suficiente.

    • Boa noite. Estava a fazer alguma pesquisa sobre o pico e apareceu-m este blog. Não pude deixar de ler o poste original como as infelizes críticas feitas ao mesmo. Na minha vida coisa que aprendi foi a aprender com as críticas mesmo que esta não nos agrade. Contudo o problema não é da blogger ( podia ter um bocadinho de cuidado como escreve algumas coisas, mas estamos numa democracia),ou seja, vocês em vez de criticar, deviam enquanto moradores do pico verificar o que podem fazer para melhorar no que toca a informações turísticas para que aos próximos turistas as coisas boas da vossa terra não passem despercebidas. No meu caso eu trabalho dia e noite praticamente, não gosto muito de fazer pesquisa, e se for para o pico ou para outro lado qualquer espero que nos hotéis ou nos postos de turismo tenham a informação necessária, pois se eles não tiverem quem tem? Por isso não critiquem, quando são vocês que não estam a fazer o trabalho bem feito. Aprendam e melhorem por favor. Espero ir ao pico, Faial e terceira este ano e graças a esta blogger e a um comentário mais acima os locais a visitar. E folgo em saber que existe gente boa no pico como o 1 picaroto por aí, pois a impressão que eu tive na minha primeira viagem aos açores em abril a s.miguel não podia ser melhor. Um verdadeiro paraíso na terra ainda por cima português.. E outra coisa um turista em média tem sempre pouco tempo e não conhece os locais para onde vai, quer ver tudo mas o tempo é curto. Se as coisas não estiverem bem informadas perdem vocês e o turista. Fiquem bem em outubro vemo-nos.

    • Cara senhora, parto 5f para os Açores e. Como tenho poucas férias e dinheiro, só estarei 2 dias na Terceira, 2 dias no Faial e outros 2 no Pico.
      Peço a sua preciosa ajuda no sentido de rentabilizar o tempo e ver o que é possível em tão pouco tempo. Dá-me sugestões?

      Já agora pergunto: analisei a hipótese de fazer uma excursão organizada mas fica um pouco cara para além de ter um carro alugado que ficará parado se for na excursão

      Propoem.se fazer um circuito de um dia pelo Pico visitando os locais mais emblemáticos e com almoço incluido. Valerá a pena ou devo faze-lo pelos meus meios.

      Agradeço imenso a sua colaboração

      • Olá bom dia, todas as dicas que tenho estão aqui no blogue. Pesquise os artigos sobre os Açores e já fica com alguma ideia. Quanto ao Pico acho que com um carro alugado consegue perfeitamente ver tudo por si, sem ser preciso excursão. Também tenho dicas osbre o Pico aqui no blogue. Boa viagem.

  31. Honestamente, depois de ler, não o post, mas os comentários neste post tenho medo de algum dia visitar a ilha do Pico. Pela raiva descontrolada que por aqui vi escrita, em relaçã a uma opinião a que a pessoa OBVIAMENTE tem direito, temo que se um dia visite o Pico , os nativos me aprisionem, me obriguem a visitar tudo o que acham que tem de ser visitado, mesmo que seja uma casita igual a todas as outras, e depois me esquartejem, cozam o meu fígado em vinho do Pico, evidentemente, e o comam. Acho que prefiro a Papua-Nova Guiné, corro menos riscos! Impressionante tanto fel numa ilha tão pequenina! Ah… e já agora, o gin tónico que bebi no Peter’s da Horta estava irrepreensível, para turista ou não.

    • ahahahhahahha…..sabe que até agora já li e reli várias vezes o meu post e não consigo entender onde é que escrevi tão mal sobre a ilha do Pico? Mas claramente a minha opinião sobre a mesma não foi nada bem vinda…mas que fiquei com medo de lá voltar, lá isso fiquei 😉

  32. Que exagero de comentários. Os moradores da ilha do Pico ao contrário do que pensava não se revelam nada amistosos. A escritora não falou mal do Pico apenas simplificou (talvez um pouco de mais) o que há para ver no Pico. Eu sou de Lisboa e se fizer um roteiro para um morador do Pico também será simplificado. É impossível ver tudo. Contribuam com o que é possível ver no Pico em vez de criticar e ofender. Qualquer futuro viajante fica à partida decepcionado com tais comentários e nada esclarecido.

Deixar uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *