Aventuras pela Suíça

Pois é, isto tem andado um bocado parado por aqui, ao contrário de mim que não tenho parado.

Alguns restaurantes novos de que falarei em breve, poucas receitas que não tenho ficado muito por casa, muita tosse, uma constipação danada, festas de anos em barda e uma semana pela Suiça.

Uma correria do demo não compatível com as dores no corpo e os quilos de lenços de papel que me rodeiam mas vai-se andando. Ainda o melhor foi mesmo a semana pela neve, aí apesar das temperaturas negativas não houve achaques.

 

 

E o que eu gostei da Suiça? Já lá tinha estado algumas vezes, a fazer reportagem em várias estâncias – Wengen, Davos, Gstaad, Saas Fee, Engelberg  – mas desta vez foi um tour completamente diferente que me fez ver a Suíça com outros olhos.

Sim os suíços são demasiado bem comportadinhos e enfadonhos para o meu gosto, mas que tem um país lindo lá isso têm.

A ideia era ir visitar uns amigos que vivem perto de Zurique, mostrar a neve à pequena F. e introduzi-la no ski.

 

 

6 dias que deram pano para mangas. Apanhámos sol, céu azul, muita neve, chuva, frio, céu cinzento. Passeámos, esquiámos, andámos de trenó, visitámos Zurique e ainda fomos “apanhados” pelos foliões do Carnaval de Lucerna.

 

 

Comemos racletes, fondue de queijo e rosti – que maravilha!!!! –  e ainda provámos várias cervejas locais e chocolates divinais.

Adorei conhecer Murren, uma vila linda sem carros, toda neve, com uma pista para trenós do melhor, adorei os lagos de Zug e dos Quatro Cantões, que percorremos numa tarde de chuva, de carro, por uma marginal linda que faz lembrar a rivieira francesa.

 

 

Fiquei fascinada com Lucerna que parece cenário de filme medieval. E com o charme de Zurique onde se respira dinheiro antigo por cada poro.

 

 

Imperdível uma passagem pela Conditorei Cafe-Schober, uma pastelaria, salão de chá, com bolos, bolinhos e afins dignos de capa de revista e várias salas de conto de fadas, onde senhoras que parecem saídas de um quadro de Velazquez bebem chá e falam baixinho com as pernas semi cruzadas e as mãos pousadas sobre o colo.

 

 

Achei fantástica a estância de Sattel que tem uma zona “verde” do melhor para iniciar os mais pequeninos. E o que a pequena F. adorou????

 

 

Adorei acordar e ver nevar lá fora. E as casas quentinhas como não temos aqui pelo nosso burgo, onde criámos o mito do “clima ameno” e passamos um frio dentro de portas como se vivêssemos ao relento.

Venho da Suíça com uma ideia nova, com vontade de voltar. Sim, os suíços são chatinhos, monocórdicos e sem cor mas que se está muito bem lá pelo país deles, lá isso está-se.

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *