Dicas para viajar com bebés

Adoro viajar, há muitos anos que faço das viagens a minha vida, o meu trabalho e o meu hobbie. Como tal, logo que pensei ter um bebé achei que este não poderia tornar-se um impeditivo para viajar mas sim uma parte integrante das viagens.

Não é tão fácil como ir sozinha, mas pode ser tão ou mais divertido. Afinal não é viajar com bebé qualquer, é viajar com o nosso 😉

É partilhar com ele momentos e histórias. Dias inteiros em que estamos juntos.

Mas para viajar com um bebé acima de tudo há que saber descomplicar e se se seguir algumas dicas, será mais certo que tudo correrá pelo melhor.

Eu viajei com a minha pequena bebé pela primeira vez logo quando ela tinha dois meses. Fomos os 3, eu, ela e o pai, 15 dias para Itália fazer uma route trip e correu tudo muitooooooo bem. Mas não houve sestas em bercinhos mas sim no carrinho,  aprendeu a beber o leite à temperatura ambiente e não aquecido e tivemos que desenvolver a técnica de mudar fraldas em tudo o que é sítio – no assento traseiro do carro, no banco de jardim, em cima da mesa do restaurante ou em bancadas de casas de banho…

 

Depois de várias viagens dentro e fora, acho que já tenho uma mão cheia de truques e dicas indispensáveis para viajar com um bebé de meses, aqui ficam elas:

Avião

Viajar de avião com um bebé não é das coisas mais fáceis. Eles não têm direito a lugar e tem que ir ao nosso colo toooooooooda a viagem. É bom pensar nisso antes de escolher o destino e as respectivas horas de vôo.

Quando são pequeninos ainda vá que não vá, quando começam a tornarem-se  maiorzinhos é quase impossível evitar que o vizinho da frente não vá o caminho todo a ser pontapeado nas costas. Resta esperar compreensão e bom senso.

Mas se há coisas que por mais voltas que demos não há nada a fazer, há outras que é possível evitar, como as dores de ouvidos na aterragem e na descolagem. Basta levar um biberon de água ou de chá e ir dando pequenos goles durante estes períodos, de forma a que o bebé seja forçado a engolir, o que evita as dores de ouvidos.

Comigo resultou sempre.

Outra coisa essencial numa viagem de avião é vestir o bebé por camadas. Na nossa primeira viagem, antes de descolarmos, não ligaram o ar condicionado do avião e a temperatura ficou tão alta que a pequena bebé teve um ataque de choro brutal por causa do calor. Já durante a viagem o mais normal é que o ar condicionado seja bastante alto e que seja preciso um casaquinho extra.

Entretanto, não esquecer de levar junto a si o saquinho das fraldas e da comida. Aliás pode transportar consigo todos os líquidos, sopinhas, purés, papas e afins que sejam destinadas ao bebé, aqui não há a regra de não se poder transportar líquidos superiores a 100 ml.

Numa da últimas viagens levei mesmo comigo uma mini geleira com 8 tupperwares com sopa mais meia dúzia de iogurtes e ninguém me chateou. Se é para o bebé passa tudo.

Outra coisa que faço sempre nas viagens de avião é levar a mala com as coisas da bebé na cabine. Se a minha mala se perder e chegar ao destino uns dias mais tarde, eu desenrasco-me. Se a mala da bebé se perder já não é tão fácil e implicará uma perda muito maior de tempo: comprar roupas, fraldas, cremes e afins pode ser fácil em Berlim, mas na ilha o Corvo pode já não ser pêra doce.

Por último se o bebé já tiver alguns meses não se esqueça de levar brinquedos para tentar entretê- lo o mais possível.  De qualquer forma tente no início escolher vôos de pequeno curso, se optar por longo curso, escolha um horário nocturno e não se esqueça de pedir previamente que lhe arranjem um berço.

Hotéis ou apartamentos

Nas viagens com a pequena bebé já ficamos alojados em hotéis e apartamentos e sem dúvida prefiro estes últimos. Ha mais espaço, há cozinha para preparar biberons, papas e aquecer sopinhas, há bancadas para espalhar as inúmeras tralhas que um bebé implica.

E caso o seu bebé seja do género de dormir cedo e apenas na caminha, então um apartamento é a melhor opção pois possibilita-lhe pô-lo a dormir e poder jantar calmamente. Num quarto de hotel vai acabar por ter que comer uma sanduíche às escuras sentada em cima da cama.

O preço é basicamente o mesmo e muitas vezes o apartamento até fica mais barato. E já há sites com fantásticas ofertas como, por exemplo, o Airnb.

Não se esqueça de confirmar antes se o apartamento tem berço e elevador. Por aquilo que eu tenho visto, a maioria tem berços e até cadeirinhas de papa. Nem pense ir viajar a carregar uma cama de viagem, que acaba no mínimo com uma hérnia discal e a amaldiçoar o dia em que resolveu ir passear.

Alimentação

Quando se está amamentar não há grandes truques. Está ali o leitinho à mão de semear, à temperatura certa e, se tudo estiver a corer bem, na dose necessária. Já quando se passa para biberons e papinhas a história e outra.

IMG_3541

Eu como acho que não é em viagem que se devem fazer experiências, sempre levei o leite em pó e as papas de cá. E não me arrependi. Em Itália o leite em pó acabou antes do previsto e foi um ai Jesus para conseguirmos encontrar a mesma marca e é uma marca supostamente mundial – Novolac.

Em Berlim houve um dia que nos esquecemos da papa no apartamento e no supermercado não conseguimos encontrar nenhuma semelhante. Acabámos por arriscar comprar uma de ete cereais e a proeza não correu nada bem. Lá nos resigámos e voltámos ao apartamento para ir buscar a papa de sempre.

Com as sopinhas, ainda em Portugal, resolvemos ver se a pequena bebé gostaria dos tradicionais boiões e a única coisa que conseguímos foi levar com um banho dos mesmos.

Habituada desde sempre às sopinhas caseiras, não achou piadinha nenhuma à troca. Conclusão, normalmente faço uma série de sopas, congelo-as por doses individuais e levo- as num saco térmico. Quando chego ao destino, guardo-as no congelador ou no mini-bar.

Carrinho

Não há volta a dar: se queremos que o bebé esteja confortável não há nada como um carrinho a sério com assento reclinável, com uma capota que proteja do sol e já agora com uma capa para a chuva – não vai querer ficar fechado no hotel só porque está a chover pois não?. Além disso estas  capas também são muito úteis quando está muito frio.

IMG_3746

Os carrinhos “bengala” são mais leves mas muito menos confortáveis pois não reclinam. E se em viagem grande parte das sestas são no carrinho é bom que este seja o mais confortável possível. Afinal digam-me lá quem é que gosta de dormir sentado?

Para as sestas durante o dia levei sempre um pano opaco que colocava por cima do carrinho de forma a tornar o ambiente mais escuro. Não é nada agradável dormir a levar com o sol nos olhos.

A verdade é que com estes truques consigo que a pequena bebé chegue a dormir sestas de mais de duas horas seguintes quando está em passeio.

IMG_4171

Para além do carrinho, outra coisa de que não prescindo em viagem é do marsúpio. Porquê? Imagine a ir visitor o Bom Jesus e Braga com o bebé no carrinho? Ah pois é… e são muitos os sítios com escadarias imensas. Confesso que no Verão é um bocadinho quente, mas no Inverno não há melhor.

IMG_0610

 Banho

Carregar com uma banheira de bebé em viagem não passa pela cabeça de ninguém. Se da primeira vez a pequena bebé só tinha dois meses e era muito fácil dar lhe banho em lavatórios e bidés, já mais crescidinha começou a tornar se imprescindível uma banheira de bebé. Felizmente já há nos hipermercados e nas lojas chinesas banheiras insufláveis que se enchem facilmente a soprar e quando vazias são mínimas e leves.

IMG_5210

 

Para já, estas são a meu ver as dicas essenciais para viajar com os nossos pequeninos. Tudo isto juntamente com uma grande dose de descontracção. Embora a pequena bebé tenha imensas rotinas quando estamos cá, aos fins de semana e em passeio não complicamos nada e tudo acaba por se fazer.

Agora é esperar que ela cresça para escrever as “dicas para viajar com uma menina”:-)

Boas viagens

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *