Empadão de Vegetais

IMG_0147

Empadão de vegetais à Fish River Canyon

Há viagens possíveis, esperadas, planeadas ao pormenor e ansiadas durante anos, décadas às vezes. Depois há as outras, que nos trocam as voltas, nos assaltam de surpresa e nos levam a sítios inesperados. Foi o que senti quando aterrei em Windhoeck, capital da Namíbia. Se é verdade que África sempre exerceu um fascínio enorme sobre mim – tudo culpa da Meryl Streep e do Robert Redford no filme África Minha – também é verdade que nunca esperei vir a aterrar em Windhoeck. Também nunca esperei percorrer a Namíbia de camião. Mas gosto de aventuras, desafios e foi preciso um milésimo de segundo para dar por mim a alinhar numa viagem de mochila às costas, de camião e a acampar por África.

Com o Fernando, 8 coleguinhas de viagem vindos de todas as partes do mundo e um casal de guias sul-africanos, a Hettie e o Kobus, estive 15 dias a fazer o percurso da Namibia à Cidade do Cabo. Pelo meio, vi leões a caçarem no Parque Nacional de Etosha, andei de moto quatro pelo deserto amarelo, subi às maiores dunas do mundo, jantei à beira da fogueira, dormi a ouvir lá longe os barulhos da savana.

Hettie e Kobus, incansáveis, revelaram-se uns cozinheiros de mão cheia, sempre a surpreenderem-nos a cada refeição com deliciosos pratos cozinhados com mestria na cozinha improvisada no camião. Não sei muito bem como o faziam, dada a exiguidade do espaço e a falta de materiais, mas que o faziam, faziam.

De todos, recordo com particular saudade, o jantar que a “dupla maravilha” nos fez de surpresa à beira do Fish River Canyon, o segundo maior desfiladeiro do mundo. Um “jantar romântico” a 12, à luz das lanternas, num cenário do mais imponente que possa imaginar.

E como manjar, o melhor empadão que alguma vez comi. De vegetais, numa mistura tão boa, que juntar carne não iria realmente acrescentar nada. Acompanhámos com um vinho tinto sul-africano bebido em canecas de plástico e com as saudades antecipadas de uma viagem que se preparava para terminar. Dois dias depois chegámos à Cidade do Cabo, mas a receita do empadão veio comigo. Nunca consegui fazer igualzinho ao da Hettie, mas ainda não perdi a esperança.

Para 4 pessoas

  • 1 Courgette (aboborinha)
  • 1 Beringela
  • 1 Pimento verde
  • 3 Cenouras
  • 1 Lata pequena de tomate aos pedaços
  • 1/2 Pacote de puré de batata
  • 1 Pacote de leite
  • 1 Ovo
  • 1 Cebola
  • 2 Dentes de alho
  • 1 Colher de sobremesa de cominhos em pó
  • 1 Colher de chá de piri piri em pó
  • 2 Colheres de sobremesa de noz-moscada
  • 1 Colher de sobremesa de manteiga
  • Azeite
  • Sal

Comece por cortar em pequenos pedaços as beringelas, as courgettes, o pimento e as cenouras.

Num tacho, coza as rodelas de cenoura com um pouco de água e sal durante 15 minutos. É mais saudável cozer a vapor, mas demorará um pouco mais.

Quando estas estiverem cozidas, salteie-as numa frigideira ou num wok com um pouco de azeite. Junte a cebola, o alho, as courgettes, a beringela e o pimento.

Em lume brando, vá mexendo até os legumes estarem quase cozinhados. Junte o tomate aos pedaços, os cominhos em pó e o piri-piri. Mexa bem e mantenha ao lume até os legumes estarem totalmente cozinhados.

Entretanto faça o puré de batata. Há quem ainda o faça da forma tradicional, com batatas cozidas esmagadas com leite, mas se não tiver tempo nem paciência há nos supermercados flocos de batata que fazem purés muito bons e rápidos.

Verta metade de um pacote de leite para um tacho pequeno e cozinhe em lume brando. Junte a noz-moscada. Quando o leite estiver quase a ferver junte metade do pacote de flocos de batata e mexa rapidamente. Desligue o lume quando começar a engrossar. Vá adicionando o resto do leite sem deixar de mexer. Se quiser o puré mais sólido ponha menos leite. Tenha em atenção que ao arrefecer o puré solidifica sempre um pouco mais. No final junte ao puré uma colher de manteiga. Rectifique o sal.

 

Pincele o fundo de um pirex com um pouco de azeite, coloque uma camada do puré de batata, uma camada da mistura de vegetais e, por cima, uma camada de puré de batata. Bata uma gema de ovo e pincele o puré. Coloque o pirex no forno, com o grill ligado a uns 180ºC. Vá controlando, a ideia é tostar sem queimar. Dez minutos serão suficientes.

Sirva quente!

 

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *