Portugal dos Pequenitos e um almoço dos bons…

Há mais de 30 anos que não ia ao Portugal dos Pequenitos, em Coimbra. Ui que isto dito assim até dá arrepios.

 

 

A última vez que lá fui era filha, agora fui como mãe. E foi giro relembrar e ver como afinal há memórias que ficam mesmo desde a mais tenra infância.

O Portugal dos Pequenitos continua ( quase) igual ao que me lembrava e é um verdadeiro deleite para os mais minis. As casinhas todas pequeninas, num retrato perfeito do nosso país.

Logo à entrada a zona que menos me fascinou então e que também não teve grande atenção por parte da pequena F. foi a zona dedicada às  nossas antigas colónias onde até não falta um pequeno pagode chinês. Prefiro a zona seguinte com as casas portuguesas casas típicas de cada região do país com pomares, hortas e jardins, capelas e pelourinhos.  Há também uma zona com os principais monumentos do país. Muitooooo giro. 

 

 

Os mais pequenos têm ainda a oportunidade de percorrer todo o recinto num passeio de comboio. A pequena F. que adora comboios ficou vidrada.

Todo o espaço em si remete um pouco (ou muito) ao Estado Novo e à exultação patriótica, não fosse ter sido construído em 1940,   Mesmo assim continua a ser um parque temático muito giro e de visita obrigatória para quem tem gaiatos pequenos.

 

 

Acabámos por sair já passava do meio- dia e resolvemos rumar até ao Rui dos Leitões, restaurante afamado pelo bichinho que o próprio nome indica.

Surpresa das surpresas, pelo menos para mim, às 12h30 e apesar da ampla sala, o restaurante já tinha fila à porta.

Como a paciência não é das maiores qualidades da pequena F., resolvemos assentar arraiais na porta do lado, o Santos. E em boa hora o fizemos. 

Tem uma esplanada muito simpática – onde só não ficámos porque estava um calor dos ananáses- uma sala ampla, dois pisos, um atendimento simpático e uns petiscos do melhor. Entre 3 adultos e uma mini criança provámos o leitão, que segundo os apreciadores estava muito bom. Acompanhado com a tradicional salada de alface e batatas fritas às rodelas.

 

 

Eu e a pequena F. ficámos por um naco de novilho que estava assim para lá de maravilhoso. Grelhado no ponto, acompanhado de uns legumes salteados que estavam divinais e de umas batatinhas que não lhes ficavam atrás. A carne era tão, mas tão boa, que nem cheguei a provar a tacinha de molho que vinha a acompanhar. 

Só vos digo, ainda bem que o Rui dos Leitões estava fechado e nos fez ir conhecer um outro restaurante fantástico. 

Único senão do Santos: encheu num instantinho e o serviço começou a ficar um bocadinho demorado. Mas não há impossíveis e fora feriados deve estar bem mais calmo. 

Mais informações em: Restaurante Santos

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *