Sri Lanka – de Ella para Tangalle

 

Acordamos com uma vista linda e com um pequeno almoço de sonho. Come-se tão bem no Sri Lanka.

Ficava mais uns tempos por Ella mas um motorista espera-nos para nos levar até Tangalle já na costa Sul, a três horas de viagem.

De Ella para Sul terminam as montanhas e com elas os campos de chá. Nas planícies cultiva-se arroz em campos extensos a perder de vista. As casas multicolores no meio do verde, tudo muito limpo, cuidado. Claro que há pobreza e casinhas de madeira e telhado de zinco mas nada da bagunçada que se vê na Índia.

À beira da estrada muitas bancas de fruta e legumes, de várias cores e feitios. Só de manga o Sri Lanka tem mais de 60 tipos diferentes.

Cruzamo-nos com rebanhos de búfalos e campos alagados. Trabalhadores de enxada nos campos de arroz. 

O calor vai aumentando quanto mais nos aproximamos do Sul e deixamos a placidez dos campos.

Chegamos perto do meio dia ao Amanwella, o hotel da cadeia Aman, onde vamos ficar nos próximos dias. E mal ponho o pé fora do carro, tenho a certeza que cheguei ao paraíso.

Sem dúvida que por muitas praias em que já tenha estado a praia do Amanwella vai directamente para o Top 5. Linda, de postal, com as palmeiras, a areia branca, o mar turquesa. O sítio ideal para uma lua de mel, para um uma segunda lua-de-mel, para uma quarta ou uma décima quinta que celebrar o amor nunca é demais e num sítio destes qualquer pretexto é bom.

 

Antes do primeiro mergulho ainda vamos até ao quarto e que quarto… Não sou propriamente leiga em bons hotéis, a minha profissão tem me levado a conhecer o melhor da hotelara pelo mundo fora – vá espanquem-me 😉 – mas o Amanwella é realmente muito bom. O quarto amplo, a piscina privativa, a casa de banho envidraçada para o mar, o terraço com as chaise longues para nos deitarmos a ouvir as ondas a rebentar na areia. E os pormenores: a banheira grande no meio do quarto, o potezinho com chips de mandioca,  as colunas para colocar o iphone ou o ipod, os chapéus de palha.

Não é dificil ser-se feliz por aqui.

Para lá do quarto todo o hotel é bonito demais. De linhas minimalistas, sem exuberâncias, clean, que exuberante já é paisagem. Uma piscina linda, infinita, como os dias que me apetecem passar por aqui.

No areal meia dúzia de casais apenas, uma aula de cozinha no meio das palmeiras, um bar de praia com um sofisticado q.b.

Passamos o dia na praia literalmente mergulhados. Lemos, descansamos e tentamos não estar sempre de boca aberta perante o cenário.

À noite antes do jantar somos presenteados com um espectáculo de danças tradicionais à luz de archotes e ao som de tambores.

thumb_img_9746_1024

Terminamos o dia com um jantar soberbo de lagosta e caril no restaurante do Amanwella. Que maravilha de dia.

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *