Último dia em Santorini

E o último dia da nossa viagem pelas ilhas gregas,  começou muitooooo bem, com um café num sítio maravilhoso: Petit Palace Boutique Hotel à saída de Fira. Maravilhoso, com vista sobre a caldeira, que terraço de assombro.

 

 

Como não ficámos aqui alojados, pelo menos desfrutámos de um café que nos apeteceu estender por toda a manhã.

Mas com o calor a apertar resolvemos ir procurar uma praia para darmos um último mergulho nas águas cálidas do Mar Egeu.

Seguidos pelas indicações de um guia local, lá resolvemos ir experimentar a praia de Ammoudi, junto ao porto de Oia. Uma descida muito íngreme a desembocar num pequeno porto cheio de barcos de pesca e pequenos restaurantes de ar castiço. Um deles, o Sunset tem fama de ser o melhor restaurante de peixe e marisco de toda a ilha. Infelizmente ainda estamos longe da hora de almoço quando por lá passamos, mas os polvos a secar, auguram bons petiscos.

 

 

Até à praia, passando o porto, o caminho são cerca de cinco minutos à beira das rochas. Não é muito agradável para quem tenha pouco equilibrio ou vertigens, mas faz-se, e eu não sou propriamente a pessoa mais destemida do mundo.

O pior é que a praia de Ammoudi, na verdade, não é assim nada que valha a pena. Encravada no meio de rochas, com mais pedra do que areia, mínima, atulhada de gente – pelo menos naquele dia estava. Com um mar lindo sem dúvida, mas com pouco de praia, pelo menos para os nossos padrões.

 

 

Lá invertemos caminho e resolvemos ir espreitar uma praia de que nos tinham falado, a pouco mais de 5 minutos de carro: Katharos. E que gira que é.

No meio das montanhas, praticamente sem ninguém, um mar maravilhoso  – sim não tem areia mas não se pode pedir tudo – e um bar – restaurante giro, giro, giro.

 

 

E foi aqui que demos os nossos últimos mergulhos, antes de um almoço maravilhoso no terraço sobre o mar.  Hambúrgueres com guacamole, camarões grelhados com molho de chilli, coentros, alho e gengibre, salada de frango cajun com pêssegos grelhados, etc…. tudo tão, mas tão bom, quão bem apresentado.

 

 

Um vinho branco gelado, muitos brindes, já as primeiras saudades do que ainda não acabou.

Saímos do restaurante já a meio da tarde, a despedirmos-nos de empregados e clientes como se já fossemos da casa e a prometermos voltar. A querermos voltar. Muito em breve.

Para terminar o dia resolvemos ir dar um passeio por Oia e talvez quem sabe até ver o afamado pôr -do-sol. Oia é bonito repito. Mas o calor é demasiado e os turistas também, Quando chego ao ponto da praxe para ver o sol a pôr-se são 5 da tarde, e já há pessoas a guardar lugar para as 21h00.

Falta-me a paciência para tanta histeria, não tiro sequer uma foto e venho-me embora. Realmente Oia é muito bonito, um sitio único no mundo, mas em Julho na Grécia onde se está bem é de monho e de preferência com um copo de vinho branco gelado a acompanhar 😉

 

 

É assim que resolvemos passar o resto da nossa tarde, na piscina do hotel Andronis Boutique Hotel, entre brindes e mergulhos. Gargalhadas e recordações dos últimos dias. As horas passam, as espreguiçadeiras dão lugar a mesas para o jantar, os empregados mudam de turno, despedimo-nos da Joana que serve cervejas exemplarmente – acabamos a cantar-lhe os parabéns em uníssono,  faz um ano de namoro e vai jantar fora com a sua metade.

 

Somos apresentados à Maria, grega bonita de olhos cor de Mar Egeu, que vai render a Joana e recebemo-la com mais um brinde.

 

 

IMG_0336

 

Os clientes da noite vão chegando, primeiro um casalinho jovem de namorados, depois um grupo de casais gays mais preocupados em tirar selfies do que em jantar.

 

 

Cai à noite, lá se foi o pôr-do-sol, e stá quase na hora de voltarmos para o hotel para irmos recolher as malas e rumar ao aeroporto.  Pedimos à Maria para pôr a tocar o Dancing Queen para despedida, já magicamos fazer um comboizinho ao som da música dos Abba e passar pelas mesas a atiçar os outros clientes. “Nunca mais se vão esquecer dos portugueses”, rimos a antecipar a cena de tudo a dançar à volta da piscina tal bailarico na Bica.

Graças a todos os santinhos, Maria prevê o perigo e com um sorriso simpático despede-se de nós sem os Abba mas com um desejo: “Espero que gozem a vossa vida todos os dias como se fossem turistas”.

Assim faremos Maria, assim faremos.

Voltamos para o hotel apinhados na carrinha de 8 lugares, curva e  contra-curva, todo o caminho a cantar em uníssono o Mamma Mia entre outros hits dos Abba.

Até breve Grécia, até muito em breve…

 

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *