Peixaria da Esquina, mais uma salva de palmas ao chef Vitor Sobral

Já teci aqui vários elogios a este chef, tanto pela Tasca da Esquina como pela Cervejaria da Esquina. Esta semana foi altura de provar os petiscos do seu último rebento: a Peixaria da Esquina. E que maravilha de jantar.

Começando pelo espaço, com um ar clean, arejado, com mesas altas de tampo de pedra, bancos de madeira, que apesar do ar periclitante são bastante confortáveis. Apenas demasiada luz para o meu gosto. Mas compreende-se, uma peixaria não é para ter um ar intimista.

O serviço muito bom, rápido, atencioso, simpático.

Mal chegámos soubemos que a nossa reserva feita e confirmada pelo site de reservas online The Fork não tinha sido na realidade efectuada. Apesar disso, com simpatia, prontificaram-se a arranjar nos uma mesa. The Fork – 0; Peixaria – 1.

image4

Fomos os últimos a sair – está-se bem por lá 🙂 – e apesar disso as empregadas nunca fizeram qualquer menção ao facto de quererem fechar as portas. Inclusive vieram todas despedirem-se à porta… talvez para terem a certeza que iamos mesmo embora 🙂

A comida: dividida entre entradas, curados, marinadas, clássicos e pratos mais normais como açordas, cataplanas, peixes no carvão e afins, é de babar.

Como eramos quatro resolvemos avançar para um jantar de partilha em vez pedir cada um o seu prato. Para começar, pedimos uma marinada de robalo com tomate seco, malagueta e coentros que estava divinal e uma marinada de atum com manga pimenta e pejo que não lhe ficava nada atrás.

image5

 

Continuámos com um carpaccio de polvo com chips de batata doce e tártaro de legumes que para alguns presentes estava um pouco insanos, mas para mim estava bom, mas não brilhante.

image6

Terminámos com um magnifico salmão curado com pickles de cenoura e funcho, emulsão de amêndoas e bolachas caseiras que fechou a refeição com chave de ouro.

image7

Dois dos resistentes ainda partilharam um dos clássicos da casa, o prego de atum que veio como se quer, alto, braseado por fora e crú por dentro. Uma maravilha.

Fiquei desejosa de voltar para repetir o que já provei e provar ainda muitos outros pratos.

Pagámos cerca de 22 euros por pessoa, incluindo vinho. Um preço muito aceitável para  a qualidade que o restaurante tem.

Mais uma vez parabéns ao Chef Vitor Sobral que é sem dúvida um dos chefs nacionais mais consistentes.

Tags:
Deixe um Comentário

<%-- Viagens --%> Blogs do Ano - Nomeado Viagens