Sud Lisboa – podia ser giro mas…. não é

E não gosto de dizê-lo, gosto de dizer bem das coisas, dos sítios onde vou. Gosto de ser surpreendida pela positiva, com orgulho no que temos nosso.

E tinha expectativas altas, há meses e meses que passava pela zona ribeirinha e via as obras a decorrer  no “antigo BBC”, ansiosa por ver o que sairia dali.

Acho que temos uma frente ribeirinha linda, um rio que deveria ser ainda melhor aproveitado, com mais esplanadas, restaurantes e afins.

Fui ao Sud Lisboa, o novo espaço com bar, esplanada, restaurante e piscina junto ao rio e fiquei tão desiludida…

 

 

Um sítio  com tantas potencialidades e, a meu ver, tão pouco aproveitado.

Começando pelo piso superior da piscina. Está bonita sim senhora, ocupa demasiado espaço, em redor só meia dúzia de mesas e de espreguiçadeiras. Quem quiser nadar tem espaço com fartura, quem quiser aproveitar aquele que poderia ser um terraço fantástico com uma vista soberba sobre o rio, a ponte, o Cristo Rei, esqueça, arranja mais depressa uma audiência com o Papa do que um um dos (tão poucos) lugares disponíveis.

 

 

Piso térreo repete o mesmo problema do de cima, poucos lugares arejados com vista para o rio, um tecto baixo, faltam janelas amplas, vistas desafogadas, um ar clean.

 

 

Já na sala de dentro não faltam lugares, mas num ambiente escuro, carregado, madeiras, sofás de pele, um ambiente com cheirinho a Inverno. Que pede lareira e manta de escocês nos joelhos e não bebidas frescas à beira-rio, num final de dia de Verão.

 

 

Uma decoração demasiado a armar ao pingarelho, “menos também pode ser mais” é uma máxima que muita gente se esquece. Tem um ar pretensioso, mas depois a um canto, uns caixotes com fruta e legumes, como a dizer: “ainda não percebemos bem se queremos ser chiques ou trendys, restaurante de três copos na mesa ou mercearia gourmet”. Uma confusão, tal como na música de fundo que não é desligada apesar do músico começar a tocar.

Como as couves penduradas do tecto de caniço que não liga de todo com os sofás de pele e a escadaria sumptuosa. É para ser tropical ou um clube inglês? Fica-se na dúvida. Salve-se o serviço, simpático e atencioso, que o rio, esse, só o consegui ver por uma nesga…

 

Deixar uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *