1º dia Lyon

Já ouvia falar de Lyon há algum tempo. Por parecer uma mini Paris ideal para um “city break”, por ter um centro histórico património da Unesco com uma concentração única de edifícios renascentistas, por ser a capital gastronómica de França com 4000 restaurantes e dezenas de estrelas Michelin etc…
Finalmente surgiu a oportunidade de vir até cá e em boa hora o fiz. Lyon é um charme, cheia de bairros giros, lojas eclécticas, boulangeries, patisseries e outras que tais de fazer babar, restaurantes do melhor, com especialidades locais, cadeirinhas de palhinha e toalhas aos quadradinhos.

 

 

Um charme, já tinha dito, não tinha?
Nesta viagem como éramos 8, entre os quais as pequena F.  resolvemos ficar num apartamento e fazer uma vida mais child friendly. Por isso este será também um roteiro de um fim de semana em Lyon com adultos e crianças.
Chegámos numa quinta feira por volta das 13 e entre transfer, viagem até ao centro, malas no apartamento e estarmos todos prontos para ir almoçar já roçavam as 15 horas.
Ficámos instalados na zona nova  e numa curta volta pelo bairro percebemos que todos os restaurantes só servem até as 14.30 mais ou menos.  Pode ser a cidade gastronómica mas não é por isso que se pode comer a qualquer hora 🙂

Resolvemos apanhar um metro para o centro para ver se teríamos melhor sorte e qual não é o nosso espanto quando deparamo nos com um acesso ao metro sem elevadores, sem escadas rolantes e inclusive sem nenhum acesso onde caiba uma cadeira de bebé montada.

Sei que a F. Já não é um bebé mas em viagem não trazer cadeira é o mesmo que dizer que vamos ter que andar muito pouco. Qual palmilhar uma cidade um dia inteiro?

Surreal. Tivemos que desmontar a cadeira da F. para que esta passasse pelos torniquetes, para além de termos que acarreta la escada abaixo e escada acima. Cenário aliás que se veio a repetir diversas vezes por dia.

Chegados ao centro, mais precisamente a Place Bellecour, uma das maiores praças da Europa, lá nos deparámos com vários cafés, bares, brasseries, esplanadas. Mas todos com a cozinha fechada. Estupefactos lá fomos andando já com alguma fraqueza para apreciar as vistas.

 

 

Felizmente em socorro de nós lá conseguimos encontrar uma esplanada em plena Praça com umas tábuas de queijos e enchidos. Pão francês do melhor, uns cornichons a acompanhar, cervejas para alguns e um Chardonnay para mim.

 

 

Mais refeitos lá partimos a pé para a Lyon Velha, atravessando a ponte sobre o rio.

O centro histórico de Lyon é muito bonito e pitoresco, ruas estreitas, muitas esplanadas, uma linda catedral, muitas pracetas e pracinhas. Lojas de chocolates, de pão, de crepes. Cheirinho a croissants e a baguettes acabadas de fazer. Lyon velha podia ser um fait divers só com lojas de souvenirs e restaurantes para turistas mas não é. Veêm se locais a beber um copo de final do dia, roupa estendida nas janelas. Descobrimos sem querer alguns traboules – passagens cobertas datadas do século 4 por onde andavam os tecelões a transportar sedas.

 

 

Infelizmente a noite começou a cair e a F. Começou a mostrar alguns sinais de cansaço e tive que apanhar um Uber – aqui ainda ha – e ir para casa.

A caminho ainda passamos num Intermarche Express para comprarmos jantar e fiquei fã. Tem imensa comida já feita que é só aquecer. Para mim levei uma salada Caesar e dois pratos tailandeses – havia pratos indianos, gregos, italianos, chineses, japoneses, para além de franceses, claro – para a F. Frango com cogumelos e massa e salmão com purê de brócolos.

Foi um final de primeiro dia bastante caseirinho com um jantar a duas, alguns jogos, histórias e mimos.

Até amanhã Lyon.

Tags:
Deixe um Comentário

<%-- Viagens --%> Blogs do Ano - Nomeado Viagens