2º dia em Lyon

O segundo dia em Lyon começou com um sol radioso, uma volta numa parque infantil para agradar aos mais novos e uma visita ao mercado Les Halles Paul Bocuse para alegrar os mais velhos.

 

 

 

É o melhor mercado gastronómico da cidade e tem iguarias sem fim. Charcutarias, queijos, ostras, foie gras,  uma bela homenagem feita ao papa da cozinha francesa. Tem alguns restaurantes mas o ideal é mesmo abastecer-se e ir fazer um piquenique no Parc de La Tete o maior parque urbano da cidade.
Na fromagerie Mons Etienne Boisy vai encontrar dos melhores queijos de Franca e na Sibila dos melhores produtos de charcutaria.

 

 

Depois do Les Halles seguimos para o bairro de Croix Rousse, um bairro muito antigo, onde viviam muitos artesãos da seda, e que durante algum tempo entrou em alguma decadência. Agora é um centro vibrante com vistas lindas sobre a cidade, galerias, ateliers, lojas ecléticas, cafés e restaurantes a não perder.

 

 

Durante a manhã  há também um mercado de verduras muito engraçado onde produtores de vários pontos de França vêm vender os seus produtos.

 

 

Como chegámos junto da hora de almoço aproveitámos para almoçar num dos melhores “bouchons” – restaurantes tradicionais – da cidade, o Daniel et Denise.

 

 

E não posso aconselhar mais. Para além do ambiente muito giro, tem uma cozinha francesa do melhor. Provámos os mexilhões, o bife tártaro e o javali em molho de vinho uma massa gratinada e um creme brulée e estava tudo divinal.

 

 

De tarde resolvemos ir conhecer os trabouche, já que o bairro de  Croix Rousse tem  a maior concentração de trabouche da cidade. O percurso para os conhecer está marcado  nas paredes por azulejos com leões e setas. É só segui-los e caso como nós tenha um carrinho, tenha muita paciência. Croix Rousse fica numa colina e as trabouche fazem a ligação entre a parte alta e o rio através de longas escadarias. Uma animação 🙂

 

 

Alguns destes trabouches como o de Thiaffait foi transformado num pólo cultural com lojas, restaurantes e afins.

 

 

No bairro de Croix Rousse a não perder também uma passagem pelo Mur Peinte des Canuts, um dos maiores murais da Europa, pintado de forma a criar uma ilusão óptica. A cena representa a vida dos habitantes do bairro e parece estar a três dimensões. Muito, mas muito giro. Por perto encontram se várias lojas que vale muito a pena espreitar.

 

 

Já junto ao rio há outro mural muito giro que é o Les Fresques de Lyonnais.

 

 

 

Depois de um copo de Merlot para descansar um pouco de todas as escadarias que descemos com a cadeira ao colo, lá seguimos à beira rio. Lyon é linda vista pelas margens do rio, os seus edifícios alinhados, os pináculos das igrejas a sobressaírem na paisagem.

 

 

Entretanto o sol começou a cair e lá tive que recolher as boxes com a pequena F.
Os restantes do grupo foram jantar a Rua Merciere, uma rua pedonal pejada de restaurantes e super animada.

 

 

 

Tags:
Deixe um Comentário

<%-- Viagens --%> Blogs do Ano - Nomeado Viagens