Com saudades de Moçambique e de um caril verde…

Caril à Maputo

IMG_0126Há rituais que começam sem sabermos como nem porquê. Não sei porquê mas, nesse tempo, começámos a ir todas as terças feiras a um restaurante tailandês perto da Avenida 24 de Julho em Maputo. Às vezes eramos dez, outras vezes quatro, ou apenas duas. Eram noites de um calor de fazer escorrer o suor, sentávamo-nos no pátio, enquanto mordidas pelos mosquitos, a contar histórias da vida e a beber vinho branco, invariavelmente morno.

Riamos tanto!… que antes do jantar vir, e vinha invariavelmente muito tempo depois do pedido, já nos doíam os maxilares.

Verdade seja dita que não tínhamos muitas razões para rir, o amor dela estava longe e o meu ainda pura e simplesmente não estava. Não foi assim há tantos anos, mas parece que foi noutra vida.

 

Os empregados alinhados ao fundo do jardim, as mesas na penumbra, iluminadas por luzinhas de Natal das lojas dos chineses… já referi o calor, não referi? E nós sempre a pedirmos vinho gelado, e os empregados, solícitos, a dizerem que sim, que iriam trazer e afinal…vinho morno; e nós ríamos, e ríamos. De tudo e de nada. Não sei por que insistíamos; todas as terças-feiras… ah certamente por causa do caril, dos vegetais em caril verde, magnifico… tão bom que até perdoávamos o vinho quente, as luzinhas dos chineses, o calor sufocante e os mosquitos incessantes.

IMG_3809

Há dois anos que não vou a Maputo. Mas de tempos a tempos, cozinho esta pasta de caril verde, com vegetais. A diferença? agora acompanho com um copo e vinho gelado. Há rituais que se alteram.

Para 4 pessoas

  • 1 beringela
  • 1 pimento encarnado
  • 1 courgette
  • 3 cenouras médias
  • 2 colheres de sobremesa de pasta de caril verde de compra (já se encontra facilmente em qualquer grande superfície na área dos produtos internacionais)
  • 1 e ½ caneca de leite de vaca ou de coco
  • sumo de meia lima
  • azeite
  • coentros

Cortar as beringelas aos quadrados, a courgette e a cenoura às rodelas e o pimentos aos quadradinhos. Num tacho, cozer as cenouras com um pouco de água e sal. Noutro tacho ou num wok, saltear o pimento com um fio de azeite. Quando este já estiver a ficar mole, juntar a beringela e a courgette. Envolver bem e acrescentar se necessário um pouco mais de azeite.

Quando os legumes já estiverem cozidos, adicionar a cenoura já cozinhada e a pasta de caril. Envolver bem e juntar o leite. Deixar ferver. Se estiver muito picante, acrescente mais leite. No fim, adicione o sumo de uma lima. Sirva com arroz e polvinhe cada prato com coentros frescos.

Esta receita é do livro “Pelo Mundo com os Tachos”

capa_

 

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios têm *.


Preencha o CAPTCHA *