Cervejaria da Esquina… adorei e nem gosto de cerveja ;-)

Não sei porquê mas gosto muito do chef Vitor Sobral… ou melhor até sei porquê:

Há uns anos fui passar um fim-de-semana com um punhado de jornalistas a um hotel em Santiago do Cacém que tinha acabado de abrir. O restaurante estava a cargo deste chef que durante dois dias nos mimoseou com vários pitéus. Nos intervalos em que saiu da cozinha mostrou-se uma pessoa muito acessível, simpática e bem disposta, com uma mão cheia de bom humor, para além de um grande talento para a cozinha.

Há uns anos atrás resolvi ir provar de novo os seus dotes à então acabada de abrir, Tasca da Esquina. Provei o menu de degustação sugerido e vim de lá deliciada. E parece que não sou a única, que passo lá à porta quase todos os dias e tanto ao almoço como ao jantar a casa está sempre cheia. E é bom ver porque é bem merecido.

No último fim-de-semana resolvi ir conhecer a Cervejaria da Esquina, também em Campo de Ourique. E que bem que se está por lá. A sala é muito agradável, com madeiras claras, grandes janelas envidraçadas, uma cozinha aberta e acima de tudo, poucas mesas, para que embora se trate de uma cervejaria, não tenha o barulho de fundo que normalmente caracteriza estas. E que pela minha parte dispenso.

Aliás, as pessoas que fizeram mais barulho durante o tempo em que lá estivémos, fomos mesmo nós. Levámos a pequena bebé e convenhamos que este não é propriamente um restaurante para levar bebés… a sala é pequena, não há fraldário, não há cadeiras altas para bebés e mesmo quando pedi para me aquecerem a sopa, responderam-me que não tinham microondas…. Mas logo se prontificaram a pôr a sopa um bocadinho no forno. Isto tudo acompanhado de um sorriso que lá simpáticos são os empregados. Quando acabámos o almoço entre os de mesa e os da copa, todos vieram acenar à pequena bebé… talvez aliviados por nos verem pelas costas, agora que penso nisso 😉

Mas voltando ao restaurante e ao chef  Vitor Sobral, gostei bastante de conhecer esta sua cervejaria, embora os preços sejam pouco simpáticos, a qualidade acompanha claramente o seu valor e vale muito a pena e dias não são dias.

Como sugestão de um dos empregados acabámos por fugir dos pratos – embora tenha passado por mim uma cataplana de camarão que me fez prometer voltar – e avançámos para os petiscos.

Começámos com uma casquinha de sapateira recheada e que bem que estava, nada a ver com as tradicionais, continuámos com um berbigão à bulhão pato que para mim estava delicioso, para o F. era preferivel estar ao natural.

Pedimos ainda um prego do lombo e um bitoque de atum, ambos divinais. E que bem que fica o bife de atum com o ovo a cavalo? E o molho? Óptimo para molhar as batatas fritas caseiras – e muito sequinhas – mas sem se tornar enjoativo como são para mim a maior parte dos molhos que acompanham os bifes nas cervejarias tradicionais. Por último, terminámos com um caldo de marisco que estava hiper aveludado. Muito bom.

Depois de tal repasto não nos passou pela cabeça pedir sobremesas. Fica para a próxima, quando formos lá provar a cataplana de camarão 😉

 

 

Tags:
Blog Comments

Como fica a um quarteirão da minha casa, a Cervejaria da Esquina é um “go to” estabelecido quando apetece almoçar de improviso ou lanchar qualquer coisa fresca.
Grávida e já depois de baby X nascer, sempre arranjaram lugar para o carrinho, paciência para a logística e simpatia a transbordar.
É uma maravilha ir lá. E da próxima, peçam o salame, que não se vão arrepender!

Irei lá voltar muitas vezes, sem dúvida

Deixe um Comentário

<%-- Viagens --%> Blogs do Ano - Nomeado Viagens